quarta-feira, 24 de julho de 2013

sábado, 20 de julho de 2013

sexta-feira, 19 de julho de 2013

‘Nossa intenção é dar nova cara ao transporte, que deixou de ser alternativo’, disse Bili

Na tarde desta sexta-feira (19), quando o prefeito Bili reuniu a imprensa para anunciar oficialmente a redução da tarifa das lotações em R$ 0,10, ele declarou que há muito tempo o transporte vicentino deixou de ser alternativo. “As lotações fazem o transporte municipal da cidade, não dá mais para tratar como alternativo”, afirmou.
Durante a coletiva, que aconteceu no salão nobre da Prefeitura Municipal de São Vicente, o prefeito ainda lembrou que os permissionários de lotações têm uma participação importante no crescimento e desenvolvimento da cidade. “O comércio local deu esse “boom” graças ao surgimento das lotações”, reconheceu.
Ele ainda enfatizou que cada permissionário é um empresário que paga seus impostos e contribui com a receita pública municipal, “por isso merece ser tratado com respeito”, disse o chefe do Executivo.
Para dar cara nova ao transporte, o prefeito disse que discutirá com os representantes do sistema a melhor forma de adequar o serviço oferecido às necessidades da população.
Bili falou que para melhorar o serviço oferecido, será adotado um modelo único de veículo, sendo que os carros que circularão pela ilha serão menores do que os da Área Continental.
Também disse que os números de gratuidades oferecidos no transporte municipal apresentados pelos representantes da categoria é de chamar a atenção. “Vamos adotar uma forma de fiscalizar melhor a gratuidade, porque os números de portadores de carteirinhas que nos foi apresentando são de assustar”, disse o prefeito durante a entrevista.

Tarifa das lotações será reduzida a partir de 23 de julho

A partir das 00 horas do dia 23 de julho, o transporte público de São Vicente terá sua tarifa reajustada para R$ 2,60. Os R$ 0,10 de desconto irá ajudar, especialmente, o usuário que diariamente usa as lotações na cidade.
“Estaremos acatando a decisão da prefeitura, por ir de encontro com as necessidades da população”, afirma Anderson da Silva, presidente da Cooperlotação.

Ele revela que, apesar de não ter sido procurado pelos integrantes do movimento Passe Livre Unificado (PLU), a medida já estava sendo considerada pela categoria e chegou a ser discutida em assembleia, realizada na noite do último dia 15 de julho.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Diretoria da Cooperlotação participará do anúncio de redução de tarifa

Amanhã (19/07), representantes do transporte público de São Vicente participarão do anúncio sobre a redução da tarifa do transporte alternativo para R$ 2,60. O anúncio será feito às 16h30, no Paço Municipal.
A diretoria da Cooperlotação informa que, mesmo em meio aos protestos para redução de tarifa em todo o País, em nenhum momento foi procurada pelos representantes dos protestos solicitando a redução. "Sempre estivemos de portas abertas para escutar propostas de quem quer que seja. Se a redução for para benefício da cidade, concederemos sem problema algum", disse o presidente da entidade, Anderson da Silva. 
Ele ainda lembra que a diretoria da entidade está trabalhando a todo vapor para melhorar o sistema, de forma a beneficiar especialmente aos usuários. "Diversas ações e medidas estão sendo tomadas em favor do transporte público municipal", disse ele.

Resposta ao alerta do vereador Fernando Bispo


quarta-feira, 17 de julho de 2013

Permissionários de lotações não têm participação no Fundo Pró Transportes do Município

Com 367 veículos de lotação, o sistema de transporte alternativo de São Vicente não possui qualquer participação no Fundo Municipal de Transporte. Visando vincular receitas públicas ao desenvolvimento do transporte público, engenharia de tráfego, campanhas de educação no trânsito e aquisição de veículos oficiais, o Fundo é uma lei municipal sancionada em 1997.
Administrado por um conselho diretor presidido pelo secretário de Transportes Raimundo Oliveira, o Fundo tem como membros representantes de vários órgãos e setores, incluindo comércio e polícia militar.
“Apesar de não termos Conselho ou Plano Municipal de Transportes, temos o Fundo. Com isso, estamos à frente de muitas outras cidades brasileiras. Entretanto, seria imprescindível que tivéssemos alguém do transporte alternativo nesse grupo, pois somos quem mais serve a cidade com o transporte público”, diz Anderson.

Segundo análise que foi apresentada no início de julho pelos técnicos do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), ocasião em que divulgaram pesquisa realizada pelo instituto em várias cidades do Brasil  sobre transporte público, “a participação da população na formulação de políticas e na gestão do transporte é um instrumento prático para provocar ações efetivas na área, além de auxiliar na fiscalização da atuação da prefeitura no setor”.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Diretoria da Cooperlotação é a favor de criação de Conselho Municipal de Transporte

Para esclarecer à população o funcionamento e dia a dia do transporte alternativo de São Vicente, a diretoria da Cooperlotação é a favor da criação do Conselho Municipal de Transportes. Isso porque, apesar do transporte coletivo ser objeto de políticas públicas municipais, ele não conta com canais de participação popular e planos específicos.
“Em São Vicente, apesar de termos uma cooperativa e sete associações, quem define a atuação do transporte é a administração pública, ou seja, nos sujeitamos às leis municipais e às ordens da Secretaria de Transportes. Então, nem tudo depende do nosso desejo”, esclarece o presidente da Cooperlotação, Anderson da Silva.
Segundo ele, a diretoria – assumiu a administração da entidade há apenas quatro meses, está focada em trabalhar pela melhora do sistema, tanto para permissionários quanto para usuários. “Muitas coisas já estão sendo realizadas com reflexos positivos. Em breve, os usuários também sentirão que os ajustes estão sendo feitos”, revela.
Mas o desejo do presidente é de que os usuários não apenas sintam ou vivenciem as mudanças, mas participem dela. “Trabalhamos para o povo, então nada mais justo do que eles estarem caminhando junto conosco para participar dessas mudanças”, diz.
Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)  divulgados na primeira semana de julho deste ano, apenas 6,4% das 5.565 cidades do País têm Conselho Municipal de Transporte – canal que reúne representantes dos governos, usuários, trabalhadores e empresários. A proporção de municípios que conta com Plano Municipal de Transporte é ainda menor, de 3,8%.

O conselho municipal é onde a sociedade civil pode se pronunciar e o plano municipal detalha desde a estrutura viária, o asfaltamento de ruas, os itinerários de ônibus e até a tarifa das passagens.

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Resposta à matéria sobre lotações veiculada no Programa Balanço Geral de hoje (12 de julho)

Na tarde de hoje (12), o programa Balanço Geral, da Rede Record, levou ao ar uma matéria em que falava das lotações. Assistindo ao programa, logo notamos a edição tendenciosa. As imagens foram gravadas em horário de pico – período em que qualquer veículo de transporte público das grandes e médias cidades fica cheio, ultrapassando, inclusive, a capacidade exigida por lei em números de passageiros.

Eles também colocaram no ar imagens de lotações pequenas, sendo que 70% da frota de veículos do transporte alternativo é composta por micro e miniônibus. As entrevistas que foram ao ar, foram escolhidas a dedo. Os profissionais que trabalhavam no veículo no momento, assim como passageiros presentes, afirmam que foram ouvidos também usuários que falavam bem do sistema. Mas só o lado negativo foi ao ar.

Tínhamos uma entrevista gravada com o Balanço Geral às 16 horas de segunda-feira passada (8 de julho), mas eles não apareceram e nem ligaram para desmarcar. A equipe nos deixou esperando, mostrando um total desrespeito às suas fontes e, com a matéria tendenciosa veiculada, também aos seus telespectadores.

Pouco tempo antes do programa de hoje ir ao ar, seus produtores nos enviaram um email pedindo algumas respostas sobre o sistema, todas baseadas nas possíveis reclamações ouvidas por eles. Enviamos a resposta, mas só uma linha do que esclarecemos foi lida no ar.

Segue, abaixo, o texto enviado ao programa e que não foi veiculado:


São Vicente, 12 de julho de 2013

Em resposta à sua solicitação, a diretoria da Cooperlotação informa que está trabalhando para melhorar a qualidade do serviço prestado e evoluir o sistema de transportes. Para isso, contamos com um projeto para acabar com esses veículos que ficam parados no ponto, esperando o carro encher, assim como, dar fim à correria dos carros para proporcionar maior segurança aos passageiros e evitar acidentes. Esse projeto depende de um investimento que está em andamento, contudo, a cooperativa conta com nova diretoria – que assumiu a entidade há apenas três meses. Como o próprio secretário de transportes, Raimundo Oliveira, falou em entrevistas ao Jornal Vicentino do dia 6 de julho de 2013 e, também, ao jornal Expresso Popular, o sistema de transporte alternativo de São Vicente já fez algumas modificações na intenção de melhorar o serviço prestado e isso é só o começo. Os permissionários também estão se esforçando para trocar seus veículos por novos. São investimentos que visam oferecer ainda mais qualidade de atendimento ao usuário. Desde que assumiu a direção da cooperativa, a nova diretoria tem se reunido semanalmente com os presidentes das sete associações de transportes a fim discutir medidas que objetivam melhorar o sistema. Entre elas está a elaboração de cadastro e regulamento interno único para as lotações (atualmente cada associação tem cadastro e regulamento próprio). As medidas citadas visam punir o profissional que não faz o seu trabalho com a devida qualidade. Reconhecemos a deficiência do sistema, mas um trimestre é tempo insuficiente para solucionar problemas que se desenvolveram ao longo de anos. Leve-se em consideração, ainda, que do seu jeito, o transporte é um dos poucos serviços que funcionam bem na cidade e a qualquer horário. Quando estão nos bairros, muitos motoristas fazem a gentileza de parar na porta da casa do usuário, sem incomodar a fiscalização. Ou seja, tentando atender a população da melhor maneira. Falhas sempre existirão, afinal, é difícil não ter problemas num serviço que atende entre até 2,5 milhões de pessoas por mês. Qual hospital na cidade que atende mensalmente esse montante de gente, sem nenhum índice de reclamação? E se metade desses usuários tiver um filho, será que São Vicente terá creche suficiente para atender essa demanda? Sabemos que nosso serviço é deficiente, mas é o menos problemático dos existentes no município. Queremos ajudar a população e estamos trabalhando para isso.

Assessoria de Comunicação da Cooperlotação

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Cooperlotação fará venda online vale transporte para usuários comuns


A diretoria da Cooperativa de Transportes e Serviços do Transporte Alternativo (Cooperlotação) acaba de investir na aquisição de um programa que possibilita ao usuário comum adquirir seu vale transporte pela web. O benefício, que antes era reservado exclusivamente para empresas, será deverá ser garantido para os usuários do passe comum (pessoa física) e também estudantes cadastrados. Além do programa, a entidade também adquiriu 10 pontos de validação de créditos, que serão espalhados em estabelecimentos comerciais da cidade.

O programa está previsto para funcionar ainda neste segundo semestre de 2013 e tem como finalidade facilitar a comercialização de créditos dentre usuários, que atualmente fazem suas recargas de crédito na sede da cooperativa, no Parque São Vicente.

“A venda de crédito para pessoa física pela internet é uma das primeiras importantes ações da nova diretoria da cooperativa que beneficiará diretamente ao usuário. Com isso, vamos ajudar a melhorar a qualidade do serviço”, afirma Anderson da Silva, presidente da Cooperlotação eleito em março deste ano, em assembleia geral ordinária.

Para utilizar o serviço, o usuário precisará se cadastrar no site da recarga on-line e seguir as instruções que estarão disponibilizadas pelo sistema. “Também estaremos preparando um passo a passo para ser distribuído entre os usuários, facilitando o entendimento do programa”, garante Anderson.

Como usar - Após efetuar o cadastro, o usuário receberá um login e senha. A partir deste ponto, ele estará autorizado a comprar as passagens. A forma de pagamento fica a critério do usuário, pode ser boleto bancário, que será gerado na hora, cartão de crédito ou transferência eletrônica.

Após a finalização da compra, os créditos deverão ser disponibilizados no cartão do usuário em até um dia útil. A validação será feita em um dos dez pontos de recarga que a cooperativa terá espalhado pela cidade.

“Esse programa não só facilitará para o usuário, como será benéfico, também, para os cooperados, pois deverá aumentar o número de usuários de cartão transporte, diminuindo a entrada de dinheiro nos carros e, coibindo assim, os assaltos nas lotações”, enfatiza o presidente.

Atualmente, apenas 2,5% de usuários comuns utilizam o cartão transporte. Com o programa, a diretoria da cooperativa acredita que esse número deverá subir, inicialmente, para 30%.